Antes do Ele vem o Eu

Quando pequenos aprendemos a ler e escrever, aprendemos também a conjugar o verbo: Eu, Tu e Ele. Durante o nosso crescimento desenvolvemos capacidades que é da evolução humana como andar, comer, ler, escrever, entre outras várias coisas que aprendemos completamente sozinhos. Tem também aquela frase clichê de que para termos nascido apenas um espermatozoide venceu a corrida. Eu poderia por horas citar mil e um exemplos de casos e fatos de que nós somos responsáveis pelo que fazemos e sentimos e que ninguém além de nós pode decidir e resolver o que é melhor para si. Digo isso porque observo algumas situações onde insistimos em achar que depende do próximo, as nossas realizações ou decisões. Estamos em uma época de muita informação onde tudo acontece instantaneamente e se não tivermos foco em nos conhecer e nos superar, somos pego pela insegurança e acabamos sempre nos colocando em segundo plano. Não é tempo de se anular por algo que não seja de benefício próprio, as oportunidades estão aí para serem vividas e os desafios para serem superados. De lamentações os confessionários das igrejas e divãs dos psicólogos  estão lotados e a pergunta é, até quando? Todo dia que acordamos existem mais de um milhão de oportunidades lá fora e só depende de nós agarrar a maior parte delas. Não podemos deixar que nenhuma situação seja maior do que a nossa capacidade de ser melhor do que ontem.


Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário