Arrisque: nós não sabemos o que vem pela frente

Considero dezembro um mês nostálgico e introspectivo, nos faz relembrar o ano que finda e quase sempre os natais de quando éramos crianças. Provavelmente algum tio, tia, avó que hoje não se faz presente, estava lá compartilhando de um momento simples e de muita alegria. Natal é simplicidade e união e acima de tudo transformação.

Assim foi esse meu ano, transformador. Olho no espelho e vejo alguém muito diferente, como é bom desfrutar e acompanhar nosso processo de mudanças. A vida é mesmo incrível. Desejo muito que este ano acabe logo, creio que já aprendi muito e dele só quero lembranças, nada mais que isto. Quando olhar para minha linha do tempo saberei exatamente onde tudo começou a mudar: o ano de 2016.

As vezes eu me perguntava e imaginava quando é que tudo começaria a fazer sentido pra mim, que as coisas ao meu redor penetraria em meus poros em busca da alma que habita este corpo e que tudo fosse intenso como deveria ser, e mais uma vez não encontrei a resposta. De vez em quando precisamos tomar decisões drásticas e a minha foi ir ao encontro de mim mesmo. Conheci o meu pior e melhor lado, tomei decisões e sofri as consequências, mergulhei nas profundezas da tristeza e lá permaneci algum tempo.

Comprovei que a dor é necessária mesmo que de cara pareça loucura, vai por mim. Encarar os medos de frente nos faz muito mais forte e disso eu não terei mais dúvidas, fugir é uma opção mas lutar contra eles é enriquecedor. Se eu pudesse dar um conselho ao Halisson de alguns anos atrás eu com certeza diria: arrisque e sofra mais.

Como todo final de ano me peguei aqui lembrando de tudo que passei, fiz das lembranças um texto e das lições uma nova oportunidade. Um dia de cada vez é o melhor conselho que ofereço neste momento.

Sempre seremos surpreendido pela vida, todos os dias um milhão de coisas nos fará tomar decisões, exigirá nossa força e fará nos conhecer mais um pouco. Dessa vez faça diferente, se liberte do que te aprisiona e tenha somente uma oportunidade para fazer tudo que não fez até este momento.


Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário